terça-feira, 30 de setembro de 2008

Rumo à Célula


O Clube da Luta retorna após um fim de semana em que cedemos a nossa data na Célula para que os amigos da Insecta realizassem o festival Floripa Noise 2008, que foi um sucesso.

Parabéns ao lutadores que estão ajudando a colocar Santa Catarina no mapa da música pop brasileira. (Hum, esse pop aí o Zimmer acho que não gostar!)

E na volta do Clube vou estar lá com meus camaradinhas tocando com Coletivo Operante, ao lado de Luiz Meira, genial guitarrista manezinho que acompanha Gal Costa, e da Sociedade Soul, que vem a ser a antiga Gubas.

Noite de balanço total e aquelas surpresas que só o Clube da Luta traz pra você. Bora lá.

El Bovino

O grupo El Divino é atualmente o maior conglomerado de entretenimento de SC. Realizou recentemente uma parceria com a rede espanhola de clubs Pacha. Em suas diversas casas, todas voltadas ao som que estiver sendo jabázado nas rádios e no som dos "melhores DJs segundo revista de tal" , recebe a "nata" de nossa sociedade. Pois bem.

Este grupo tão conceituado e de alto nível protagonizou um festival de desrespeito aos músicos, que quem lembra já sabe ser meio que o modus operandi por lá. Quero crer que os proprietários do grupo não sejam pessoas toscas assim. Tá na hora de botar ordem e substituir esses subalternos desqualificados, ou pagar um cursinho de boas maneiras. Gente ignóbil que só entende de $$$ mas de nada de educação e finesse.

Aconteceu de novo, agora com meu amigo Fábio Dwyer, que justamente indignado mandou um e-mail aos músicos, do qual eu reproduzo alguns trechos:

Nova modalidade de desrespeito aos músicos em Florianópolis

"Venho por meio desta mensagem narrar alguns fatos revoltantes que aconteceram no último sábado à noite com minha banda aqui em Floripa. Fomos convidados por um amigo para nos apresentarmos na festa de 40 anos da ACI ( Associação Catarinense de Imprensa ) que ocorreu no El Divino Lounge, na Beira-Mar..."

"...Durante a tarde fomos passar o som, e os problemas com o El Divino começaram logo na chegada quando funcionários não queriam nos deixar entrar com o equipamento, pois a faxina foi marcada para a mesma hora que a passagem de som. Quando conseguimos entrar e montar o equipamento, ficamos sabendo que estávamos trancados ali, com um funcionário responsável mas que não tinha as chaves do local..."

"...Quando chegou a hora combinada de tocarmos, das 23h às 24h, um senhor, acho que proprietário de uma agência de propaganda local, pediu o microfone um “instantinho” antes de a banda começar. O que se seguiu foram 28 minutos de premiações, homenagens e discursos, o que reduziu nosso show pela metade. Até aí, ainda é tudo razoavelmente aceitável, a festa era para a imprensa, talvez a gentileza de comunicar isso à banda antes estivesse mais de acordo com o bom senso, mas tudo bem..."

"Começamos finalmente nosso show e surpresa: o som estava horrível, baixo e com ruídos que não estavam presentes na passagem de som, e, pelo que me foi relatado por pessoas que estavam na platéia, parece que as caixas de PA estavam funcionando com carga bem reduzida. Isso prejudicou enormemente a performance da banda e serviu pra dar aquela “queimada de filme” básica, justamente o oposto do que procurávamos, mas até aí, tudo pode ser relativizado, até a qualidade da banda poderia ser questionada por alguém que não tenha presenciado a passagem de som, etc. O problema realmente começa agora:

Tocamos até meia-noite sem sabermos que o espaço onde tocamos - numa espetacular combinação de ganância, descaso e completa falta de raciocínio lógico - havia sido locado também para outra festa. A primeira da ACI privativa, até meia-noite, depois a Festa Mural, aberta ao público e cuja área destinada aos vips era onde estavam os equipamentos da banda.

Enquanto começávamos a desmontar o palco, os equipamentos da banda começam a desaparecer. Primeiro some uma caríssima guitarra PRS. O dono estava desesperado, e quando fui ajudar a procurar a guitarra dele e ficar de olho na minha própria guitarra, vejo um rapaz que até então eu não conhecia, saindo do palco com minha guitarra nas costas. Voei em cima dele e arranquei-a do seu ombro perguntando quem ele era e onde estava a outra guitarra. Ele, um rapazinho que atende pelo nome de Alemão e parece ser uma espécie de sub-gerente, falou que estava tudo ‘no depósito’ (sem explicar onde era!) e tínhamos DEZ MINUTOS para desmontar tudo e CRUZAR A PISTA DE DANÇA, COM MAIS DE 500 PESSOAS COM TODO O EQUIPAMENTO DO PALCO! Uma bateria, caixas de retorno, mesa de som, 4 amplificadores, baixo, guitarras, etc.

Teríamos que cruzar com tudo isso um espaço que uma pessoa não carregando nada já cruzaria com bastante dificuldade. Falei que era impossível e o ‘Alemão’ respondeu “Não sou nenhum ignorante, isso é problema de vocês!” Cercado de seguranças pressionando a banda, pedi que os mesmos fizessem um cordão de isolamento para a banda passar e o Alemão falou que não!

O resultado é que, mesmo pedindo licença, com a música alta e o público já meio‘calibrado’, não conseguimos passar com o equipamento sem esbarrar em muitas pessoas, que ignorando a situação pensaram que essa decisão estúpida e surreal era da banda. Criou-se um clima bem desagradável contra a banda e quando retruquei perto do tal Alemão que aquilo era um absurdo, a resposta educada que obtive foi: “Vai cuidar dos seus bagulhos, seu palhaço”..."

"... Depois fiquei sabendo que o superior dele, um tal Sr. Ely, administrador do El Divino e uma das mentes mais brilhantes de Fpolis, foi quem deu a ordem para que vazássemos da área vip em questão de minutos. Daí, o rapaz transferiu para banda um problema administrativo da casa, o que não justifica tanta grosseria.

Não tenho nenhum prazer em ficar aqui me lamuriando, sei que todos têm seus problemas, outras bandas já passaram e passam diariamente por problemas desagradáveis nos bares e casas noturnas de Florianópolis..."

"...Imagina-se que uma festa organizada por uma agência de propaganda de destaque, para uma Associação dessa importância em uma casa noturna de luxo da cidade não vá resultar numa situação digna de festa de bêbados em botequim de quinta categoria..."

"...O nome da banda foi preservado pois não consultei meus companheiros antes de expressar minha indignação, cada um o faz à sua maneira, a minha é esta. Alguém disse que a forma como os artistas são tratados reflete a saúde de uma sociedade. Espero que tenhamos dias melhores (e cabeças melhores) pois esta cidade merece..."

Fábio Dwyer

Florianópolis, 30 de setembro de 2008


Em um segundo e-mail que me enviou, Fábio conta que mesmo preservando a banda, " o "líder" do grupo, escreveu me esculachando, me chamando de irresponsável, dizendo que eu queimei o filme da banda e fechei todas as portas da cidade pra eles".

Meu amigo tomou uma atitude de nobreza, coisa que esses ditos "músicos" que se rebaixam à qualquer condição e rebaixam toda a classe não têm, se demitiu.

Ainda acrescentou: "Estou recebendo inúmeros e-mails de solidariedades (e um de esculacho completo de quem mais deveria me apoiar) e estou vendo um racha: existem definitivamente duas categorias de músicos em Floripa: os que exigem respeito profissional (Clube da Luta e Projeto Rock, principalmente, com quem estou mais envolvido) e aqueles "músicos" que se submetem a qualquer absurdo por uns trocados, poluindo nossa "piscina" profissional. Vejo vocês do Clube da Luta e o Projeto Rock dando um duro danado pra conquistarmos o respeito e profissionalizar a área, e daí o cara que tá ali, do teu lado assume uma postura dessas..."

Com agradecimentos à Madame Celeste que deu o título do post.



.

Nesse circo quem é que é o palhaço?



Essa peguei no Flagrantes do Cotidiano, através do Carlos Damião.

Foto de santinho do candidato mais divertido do horário eleitoral gratuito, o palhaço Chupetão e seu candidato a prefeito. Será contrapropaganda?

Encaixotada



Daqui.

sábado, 27 de setembro de 2008

Sacanáize




Na porn vibe de hoje encontrei isso.

Um vídeo que rolou na internet há uns meses atrás. Chamado Safe For Work XXX, foi criado para comemorar os 30 anos da marca Diesel. Mistura animação com cenas de filmes pornô dos anos 80.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Panorama

O site Technorati, um agregador e ferramenta de busca de blogs da qual participo, publicou uma interessante pesquisa sobre a blogosfera.

Dark Water


Via Pony Express.

Bora lá


E amanhã as bandas Tijuquera e Andrey e a Baba do Dragão de Komodo se apresentam gratuitamente na praça da Lagoa às 17h.

Escute



Um vídeo da Mongaru Productions.

PSA



Teaser de lançamento do documentário Sistema de Animação de Guilherme Ledoux e Alan Langdon.

Trata-se do primeiro longa-metragem da dupla que já conta com um currículo de sucessos como O Fim do Mundo, Providência - Como Fazer Um Comercial de Cachaça e outras obras freak realizadas pelo coletivo Pintô Sujêra.

Sistema de Animação mostra um pouco da genialidade, espiritualidade e loucura do baterista Toicinho, uma lenda da música em Florianópolis.

Deixo o recado para o Ledoux:


Carissimos amigos, colegas de cinema e musica:

É com imenso prazer que eu e meu amigo alan vos convidamos para prestigiar uma noite de gala, requinte e muita sétima arte. Uma noite especial para nós, pois desde que ele voltou ao Brasil em 2003 estamos trabalhando e aprontando a confecção de nosso primeiro longa-metragem, o documentário SISTEMA DE ANIMAÇÃO. Trata-se de um dinâmico e inusitado retrato do não-menos-excêntrico e talentoso músico Toucinho Batera, em cartório conhecido como Lourival José Galliani.

O lançamento será no dia 6 de outubro, Segunda-Feira, no Teatro Álvaro de Carvalho - TAC, as 20 horas. Ingressos antecipados nos pontos de venda a R$ 10.

Será um evento duplamente animado, elevado ao quadrado: o filme, seguido de uma apresentação musical do Toucinho e eximios musicos convidados, inclusive com a participação especial do renomado baterista e amigo de Toucinho, Nenê Batera.

O filme está que é uma beleza. Recebeu ótimas críticas em blogs quando foi pre-estreado no FAM e depois no CATARINA Festival de Documentarios, onde recebeu a Menção Especial da Crítica Especializada, um desígnio criado especialmente para o filme receber reconhecimento no evento. O crítico Carlos Alberto Mattos, um dos maiores críticos de docs brasileiros, fez uma crítica muito boa no seu blog no OGlobo Online, na ocasião do evento.


Os ingressos antecipados podem ser adquiridos nos seguintes locais:

Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)

Praça Pereira Oliveira

R. Marechal Guilherme, 26

Centro – Floripa, SC

(48) 3028-8070


Escola de Música Rafael Bastos

R. Dom Jaime Câmara, 202

Centro - Floripa/SC

(48) 3025-3868

contato@rafaelbastos.com


Batuka Groove

R. 7 de Setembro, 130

Centro – Floripa, SC

(48) 3024-6206contato@batukagroove.com

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

É Noise!


E quem é que pode continuar dizendo que em Floripa não acontece nada. A semana está recheada de shows, festas e um grande festival independente.

A rapeize da Insecta Produções promete colocar o estado no mapa dos grandes festivais independentes que atualmente varrem o país com o Floripa Noise Festival 2008, um festival de 9 dias, englobando música, mostra de documentários de rock, debate e as manifestações artísticas inusitadas e improváveis sempre presente nos eventos desse trio de freaks, os amigos Xuxu, Zimmer e Amexa.

Estão previstas performances com atrações internacionais, nomes destacados do cenário independente nacional e como não poderia deixar de ser, algumas das mais relevantes bandas/artistas do estado de Santa Catarina.

O Floripa Noise Festival acontecerá em diversos espaços; no Museu da Imagem e do Som do Centro Integrado de Cultura (CIC), nas Livrarias Saraiva do Shopping Iguatemi e na Célula.

Fiquem ligados na programação. Clique na imagem para ampliar.

Elza aderiu



Ontem tive uma noite memorável. Após mais uma edição do Lero-lero Musical na Livraria Saraiva - onde fui agraciado com uma singela homenagem pelos serviços prestados à causa e participação - estive no CIC onde vi e ouvi a genial Elza Soares. Que energia minha gente! Aos 71 anos estava serelepe e fez o teatro chacoalhar ao som de sua voz rouca e cheia de sentimento acompanhada da nata dos músicos de Florianópolis e - no fim dos show- das velhas guardas de 3 escolas de samba da Capital.

No camarim, eu e o Zé Pereira fomos recebidos pela cantora que se entusiasmou com o Clube da Luta. Segundo Elza tá todo mundo na luta. Disse ela ainda que deveríamos tê-la avisado antes do show pois ela teria dado um grande recado no palco. Enfim, valeu demais. Ainda pudemos dar um beijo naquela face abençoada.

E não acabou. Ainda no embalo da boa música e vibrações positivas partimos em caravana rumo à Lagoa para assistir o show de Curumin e continuar nossa viagem na linha evolutiva da música popular brasileira.

Chegando ao John Bull, local do show, ouvi as melhores impressões possíveis sobre a apresentação da Samambaia Sound Club que abriu a noite e deixou o Curumin nos cascos. Vai ser funk assim lá na casa do chapéu. O cara manda ver na bateria e canta com muito suingue. Aquela cruza malandra de Trio Mocotó com Stevie Wonder. Nosso grupo, formado por este que vos escreve, Júlia Eleguida, Zé Pereira, Shei, Alexandre Luz e o Gil ( proprietário do Blues Velvet) se esbaldou e caiu na dança.

Em grande momento o BNegão, que havia se apresentado no mesmo local na noite anterior, deu uma canja excelente em Caixa Preta - faixa do álbum Japan Pop Show de Curumin onde o rapper carioca deu uma palha - e pegou a guitarra para mandar tudo pro espaço em Funk Até o Caroço. O reduzido público não se intimidou e caiu no groove.

Vacilões, se liguem que no sábado o Curumin faz um show extra no Vecchio Giorgio.

UPDATE: Maquinhos Espíndola tascou em seu blog um relato da jornalista Maristela Amorim que estava no camarim e, junto com o fotógrafo Fernando Willadino, registrou o momento em que eu e o Zé encontramos Elza.

O sétimo selo

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Duríssima na queda


A maravilhosa Elza Soares se apresenta hoje à noite no teatro do CIC acompanhada por músicos locais como os gênios Guinha Ramires e Caio Muniz.

Elza conheceu recentemente o Guinha e voltou ao Rio de Janeiro maravilhada com o talento do violonista. É um monstro mesmo.

No final do espetáculo 360 graus que a cantora traz à Florianópolis, subirão ao palco as velhas guardas de escolas de samba da Capital.

Pra me preparar li, emprestado pela querida amiga Natascha, uma biografia da cantora escrita por José Louzeiro.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Norman Whitfield 1943 - 2008

Lá se foi um mestre do soul, produtor e compositor de inúmeras pérolas da Motown, Norman Whitfield.

Fiquem com uma dessas preciosidades, Ain't Too Proud To Beg com os Teptations.

domingo, 21 de setembro de 2008

" Atire a pedra no pequeno, mas um dia você vai se queimar"


Esse ano o lançamento do álbum Psicoacústica do Ira! completa 20 anos.

Uma pérola dos anos 80 que foi fracasso comercial mas é seguramente o melhor e mais influente trabalho da banda. Não tenho mais o vinil mas guardo ainda aquele óculos 3D que vinha encartado para ver a capa dupla em verde e vermelho.

Em busca de outros sons, outras batidas, outras pulsações a banda embarcou numa viagem conceitual emoldurada pelo clássico filme udigrudi O Bandido da Luz Vermelha, do catarinense Rogério Sganzerla.

Destaco as músicas Farto de Rock'n'Roll, um rockão hendrix-zeppeliniano com scratches feitos por Nasi e Scandurra nos vocais, Advogado do Diabo - canção de Nasi e do baterista André Jung que pirou o cabeção de Chico Science - e Mesmo Distante, a balada noise-folk-psicodélica cheia de camadas de guitarras e microfonias melodiosas encharcadas de reverb que encerra o sintético disco de pouco mais de 30 minutos.

Reincidente (2)

Assim como o amigo Alexandre Matias, eu não boto fé na democracia representativa, mas enquanto for o que há, dela participarei.

Triste é ver e ouvir por aí a mais completa falta de consciência política e de cidadania. Gente iludida vendendo seu voto e repetindo o velho "rouba mas faz". Gente que espera alguém pra resolver tudo. Pobres de espírito profissionais.

Menos de 2 semanas para o pleito e ainda não decidi em quem votarei. Mas em quem nunca votei e não votarei jamais, eu já sei.

Um amigo da Esquerda Festiva escreveu esse primoroso texto para o site de um dos candidatos à prefeito de Florianópolis:

"A partir deste sábado, nenhum candidato a prefeito, vice-prefeito ou a vereador poderá ser detido nem preso, a não ser em flagrante. O salvo-conduto, previsto no artigo 235 do Código Eleitoral, assegura pelo menos 15 dias de liberdade para Dário Berger. Até a eleição, em 5 de outubro, ele não corre o risco de acabar atrás das grades por conta dos desmandos cometidos durante suas gestões em São José e em Florianópolis. Deve ser por isso que sua coligação chama-se “O Trabalho Continua”.

Dos sete candidatos a prefeito da capital, o neopeemedebista é o único com ficha suja. Segundo a Associação dos Magistrados do Brasil, o responsável pelo atual desgoverno da capital responde a cinco processos por improbidade administrativa – três no município vizinho, dois em Florianópolis. Basta clicar aqui, escolher SC no campo “UF” e Florianópolis no campo “município” para conferir a lista. Pelo número da ação civil pública, é possível também conhecer detalhes dos processos no site do Tribunal de Justiça.

As informações que o eleitor irá encontrar demonstram o jeito peculiar e pouco ortodoxo do réu lidar com a coisa pública. Há desde locação de imóvel sem condições físicas adequadas para instalação de Centro de Saúde em São José (064.07.017074-0) até a promoção de um motorista de Florianópolis com primeiro grau incompleto para fiscal de serviços públicos (023.06.355556-8). Sobre esse último caso, o juiz Luiz Antônio Zanini Fornerolli registrou nos autos que “a nomeação indevida é de escrachada má fé”. “Proveio de favorecimento em razão do ofício desempenhado pelo prefeito, quiçá banhado no interesse ‘politiqueiro’”, completou.

Na sentença, Berger foi condenado a pagar “multa civil de 40 vezes o valor da remuneração que recebia à época”, além de ficar “proibido de contratar com o Poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos”. Claro que ainda cabe recurso, mas os advogados do prefeito vão ter de rebolar para justificar o indefensável.

Isso sem falar da recente condenação, por parte do Tribunal de Contas da União (TCU), dos irmãos Dário e Djalma Berger a devolverem cerca de R$ 500 mil aos cofres públicos. O motivo? Irregularidades encontradas pelos técnicos do TCU em obras de infra-estrutura viária em São José no período em que o mais velho era prefeito e o mais novo, secretário municipal de Obras, como superfaturamento nos contratos e, pasme, a não comprovação da realização das obras contratadas.

É esse o cidadão que está pedindo seu voto para se reeleger prefeito"
.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Em ritmo de festa



Parece que foi ontem. E apesar de muitos não botarem fé, eis que o Clube da Luta completa 2 anos de atividade, agitando a cena da bela Ilha do Atlântico Sul e indo mais longe.

Amanhã a Célula ferverá com a comemoração que traz as apresentações de Carlos Trilha, Clube da Luta All Stars e Superpose mais o DJs Zé Pereira, Freak Zuleika e Marcos Espíndola.

Para o evento será aberta uma nova ala que aumentará a capacidade da casa para 800 pessoas. Uma sonorização potente, mais bares e banheiros complementarão a estrutura.

Criado em Florianópolis no ano de 2006 com o objetivo de movimentar a produção de música autoral de SC, o Clube da Luta tem como principal regra: você não faz músicas que não são suas.

Nestes dois anos de história, o projeto tornou-se sucesso de público, atraiu parcerias com o site MySpace e com a MTV Brasil e tem realizado edições extras, como a participação no principal Festival de Música Pop do Sul do País, o Planeta Atlântida, no Festival de Outono da Lagoa e em outras cidades do Brasil, como o Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.

Na comemoração desta sexta-feira, as bandas do Clube estarão representadas pelo Clube da Luta All Stars, quinteto formado para tocar as músicas dos grupos que fazem parte do projeto. A noite ainda contará com a apresentação do duo Superpose, que vem se destacando no cenário de música autoral eletrônica do país. E, fechando a noite com chave de ouro, o Clube da Luta trás de volta à Florianópolis, o músico e produtor, Carlos Trilha, que destilará o melhor do seu novo trabalho, “Retrotech”.

Carlos Trilha é natural de Florianópolis, iniciou sua carreira com a extinta banda Tubarão, nos anos 80. Já trabalhou com diversos nomes da música nacional, como Léo Jaime, Kid Abelha, Lobão, Leoni, Autoramas, Legião Urbana, onde também produziu e arranjou o último disco solo de Renato Russo, intitulado “The Stonewall Celebration Concert”. Atualemente, Trilha acompanha a cantora Marisa Monte na tour do disco Universo Particular.

Os ingressos antecipados no valor de 15 reais podem ser adquiridos na Varal Camisetas, na Rua Tenente Silveira, 111, Galeria Parthenon, no Centro.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Reincidente


Carlos Damião acaba de informar que a Polícia Federal deflagrou uma nova operação contra fraudadores da legislação ambiental. A Operação Dríade, que está sendo chamada por aí de Moeda Verde 2, vai cumprir 38 mandados de busca e apreensão e 14 de prisão. O foco da investigação está em Biguaçu, onde fica sediada a empresa Inplac de Fernando Marcondes de Mattos. E adivinha quem tá de novo no rolo?

Damião informa ainda que o filho de um vereador agrediu o jornalista Ozias Alves Júnior, editor do jornal Biguaçu em Foco, com uma tijolada.

A Esquerda Festiva torce para que ele esteja bem. Ozias é uma figuraça. Inteligente, articulado, apoiador da música catarinense, roqueiro e um poliglota que sabe inclusive tupi-guarani e esperanto. Conheci-o quando frequentávamos os bancos do curso de jornalismo da UFSC.

Leia mais aqui.

"What Do I do with all this agression..."



Pete Townsend e Jimi Hendrix tocando e falando sobre a destruição de guitarras.

sábado, 13 de setembro de 2008

"Lá, laiê, laiê, laiá..."

Photobucket


A Lagoa da Conceição em montagem com fotos de 1966.

Achei num velho disquete esta imagem que recebi do amigo André Gassen há alguns anos atrás.

Genial este post do Diário Gauche.

Shownalismo


Um dos maiores nomes do jornalismo brasileiro, Ricardo Kotscho, entrou na blogosfera com o Balaio do Kotscho.

De lá trago este post sobre a saída de Nelson Motta da Folha:

Por isso que é bom sair de casa e andar por aí. Se não tivesse ido ao supermercado na terça-feira não ficaria sabendo, por exemplo, por que o colunista Nelson Motta deixou abruptamente a coluna carioca da “Folha” nas sextas-feiras.

Em sua lacônica coluna de despedida, quando aproveitou para dar mais um pau na TV pública, tema recorrente dos neo-cons da imprensa, Motta nada esclareceu, e o jornal também não se preocupou em dar uma satisfação aos leitores.

Foi o seguinte, como me contou um velho amigo testemunha dos fatos com quem cruzei no supermercado.

Na coluna anterior, “O rei e o leão”, o jornalista, compositor e produtor musical Nelson Motta criticou a crítica do jornal que criticou o show de Caetano Veloso e Roberto Carlos em São Paulo.

Até aí, não teria nada demais, até porque o jornal bem que gosta de uma polêmica. Acontece que a direção do jornal foi informada que Nelson Motta havia trabalhado na produção deste show.

Cobrado por seus superiores por ter omitido esta informação, ele se aborreceu e disse tchau, não admitindo que colocassem em dúvida a sua ética profissional.

O caso Motta-”Folha” pode nos recomendar uma reflexão sobre os caminhos e interesses cruzados entre jornalismo e entretenimento, cada vez mais comuns.

Em um dos seus livros, o jornalista e professor José Arbex já definiu esta prática como “shownalismo” .

Como bem comentou um leitor do Kotscho, o Nelson Motta é craque na MPB, já em política...

Quem é esse cara?


Ele já aderiu faz tempo.

Coisas pra se dizer durante o sexo

Clique na imagem para ampliar e divirta-se.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

A MTV aderiu


Um noite divertida cheia de gente bonita, de bom papo e boa música. O povo tranquilo que frequenta a Célula comemorou ontem a parceria entre a Célula/Clube da Luta e a MTV Brasil.

A multinacional de entretenimento trouxe para os convidados e amigos a Cachorro Grande - que tendo uma agenda recheada de quarta a domingo - se poupou e fez um show até morno, para os padrões da banda.

Gastão Moreira, ex-funcionário da MTV e sócio da Célula, subiu ao palco para apresentar o grupo, saudou a parceria e a cachorrada atacou com um cover de My Generation seguido de um de seus hits Hey, Amigo.

Daí em diante foram relaxando e mandaram mais alguns covers - Neil Young e Beatles - e poucas músicas deles. Entre elas a boa Roda Gigante - do último disco e que rendeu um clipe bem bonito feito todo em super 8- e O Que Você Tem cantada pelo guitarrista Marcelo Gross. Nesta o instrumento falhou no meio e eles entraram num improviso interessante enquanto os roadies resolviam o problema.

Pedro Pelotas se destacou viajando com um sintetizador piradão em Helter Skelter. Beto Bruno eu não sei como aguenta essa agenda de quarta a domingo se esguelando já na primeira música.

Teve tudo que um bom show de rock deve ter mas foi pouco para o que eu já vi esses caras fazerem.

Mané vibration


Eu não poderia deixar passar em branco um dos grandes shows do ano na Célula. Tijuquera com Moriel no Clube da Luta no último dia 5 de setembro.

A banda e o músico-mestre-de-capoeira-guru ensaiaram várias canções clássicas compostas pelo genial Moriel que nunca foram gravadas pela Dazaranha mas ainda ressoam nos corações e mentes de quem viveu a Floripa dos anos 90. A Célula entoou em uníssono Sapato Preto, Mamica e outras. Coisa mais linda.

Esse show também deu uma pista do que a banda Tijuquera prepara para seu novo trabalho em gestação. Pelo jeito vem uma pedrera reggae por aí.

Em outubro o grupo florianopolitano embarca para sua segunda tour européia neste ano.

Literárias

Minha amiga Jeanne Callegari volta à Floripa hoje para lançar o livro Caio Fernando Abreu - Inventário de um escritor irremediável, um perfil produzido em tom de reportagem, que reconstitui a vida do autor desde a infância, em Santiago do Boqueirão, até a morte por aids, anunciada em crônica de jornal.

Caio Fernando Abreu é um fenômeno raro na literatura brasileira, sendo ao mesmo tempo cultuado pelos leitores e um dos autores mais estudados pela Academia.

O lançamento acontece logo mais às 19h na Livros & Livros , na Rua Jerônimo Coelho, Centro de Florianópolis.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Bora lá!



O Clube da Luta apresenta hoje, Coletivo Operante, Missiva e Samambaia Soud Club. Na Célula.

E amanhã a banda Aerocirco lança seu disco ao vivo gravado na Célula, também lá. A festa marca o início da parceria do Clube da Luta Floripa com a multinacional MTV.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Em nome do imperador


Esta foto de Yasushi Nagao lhe rendeu um prêmio Pulitzer em 1961. É o momento do segundo golpe de espada que o estudante Otoya Yamaguchi de 17 anos, membro de um grupo ultranacionalista de direita, desferiu contra o líder do Partido Socialista de Japão, Inejiro Asanuma.

O dia era 12 de outubro de 1960 e Asanuma morreu antes de chegar no hospital. Neste impressionante vídeo o primeiro golpe ( Aos 1:13) :






Via Inner El Pendejo.

"Eu fico louca"



Em 1978 a atriz Elizângela gravou descompromisadamente a música Pertinho de Você, composta, produzida e arranjada pelo seu amigo, o produtor Hugo Bellard. A proto-lambada foi um hit instantâneo assim que Hugo conseguiu lançá-la pela gravadora RCA, depois de ouvir muitos não.

O disco viria a se transformar no compacto simples mais vendido da história da música brasileira, com mais de 1 milhão de discos vendidos no Brasil e exterior.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Skawuska!

Três dias sem linha de interNET em casa. Espero atualizar em breve com as quentinhas do fim de semana. Abraço.

Coração na ponta dos dedos

A revista Guitar Player dedicou duas páginas - em sua última edição - para nosso querido e estimado amigo Bilu . Um fotão de meia página e uma entrevista feita por Henrique Inglez de Souza.

Destaque merecido pela dedicação e talento desse istepô. Dá-lhe Biluz.

Confira o resumo no site.

Get uppa



Um dos trajes de James Brown que foi à leilão recentemente.