segunda-feira, 7 de julho de 2008

Palhaçada

O grupo El Divino, que atua no ramo do entretenimento e possui diversas casas em Floripa, vacilou feio. Falta de profissionalismo é pouco para descrever a patacoada que fizeram com o Clube da Luta na festa de 8 anos do Patrola, no último sábado no El Divino Club em Jurerê.

Marquinhos Espíndola escreveu em seu blog sobre o acontecido.

Dizem que o produtor do El Divino desconhecia o Clube da Luta. Este é o "profissional" que trabalha numa grande casa noturna e nem um jornal local deve ler. Mas não é nenhuma surpresa, o cara desconhecia também o Andy Rourke, ex-baixista dos Smiths. Como disse um amigo meu, o figura é quase um sexagenário metido a DJ teen.

Não faz muito tempo que ocorreu outro caso emblemático em que produtores de uma conceituada casa noturna da Lagoa não sabiam quem eram os Sex Pistols, quando tentaram lhes vender uma discotecagem com Glen Matlock, ex-baixista da banda seminal do punk-rock.

Ainda lembro também do site de uma grande casa de shows que anunciava o espetáculo de EDY Motta.

Infelizmente se exige profissionalismo dos artistas sem a contrapartida. Pessoas sem capacitação - além do sobrenome e Q.I - detém posições de destaque na produção musical e cultural de Floripa há tempos. Mudar isso também é nossa luta.

Mas enfim, o pessoal do Patrola que não teve nada a ver com isso, pelo contrário são apoiadores da luta, enviou um email-resposta para o baterista e produtor da Samambaia Sound Club, André Guesser, que trancrevo aqui:

André,



Cabe a nos simplesmente agradecer pela festa que vcs proporcionaram ao NOSSO público! Quando digo NOSSO, digo do Patrola e do Clube.

Lamentamos profundamente tudo que aconteceu. Assim como vcs, nosso estresse era intenso nos últimos dias e a indignação tb. Fomos apenas avisados por email e tb pegos de surpresa pela falta de profissionalismo e caráter de uma casa que, desde o começo, não era o nosso "local" preferido.

Infelizmente ainda barramos e somos limitados por questões comerciais e "maiores" que nós. Mesmo assim, tb acredito e pude perceber que conseguimos ser maiores que tudo isso.

Editorialmente e musicalmente estamos satisfeitos pois, assim como vcs, eu, Lele e Tata fizemos o que podíamos com raça, amor e coragem!

Desde quando acompanhamos o começo do Clube, assumimos a luta também. E vamos continuar, sempre. Mesmo que grandes "casas", "marcas" ou seja lá o que for continuarem a abocanhar nossas possibilidades.

Leve nosso cumprimento e o nosso agradecimento de coração a todos os músicos e bandas. Pedimos desculpas pelas atitudes que não foram nossas, mas que afetaram o trabalho de vcs.

Temos muita esperança e vamos batalhar para que as coisas mudem para o ano que vem, de verdade.



Um grande abraço de toda nossa equipe.



Zé, Tata e Lele
.


Deste primeiro embate sério, o Clube sai fortalecido. Triste é ver o fogo amigo rolando.




.

2 comentários:

Eduardo disse...

Ulysses, meu velho amigo comunista, vou roubar a frase, pq cabe como luva:
passarinho que come prego, sabe o cu que tem.
Demorou pra dispensar esse tipo de companhia, não?
abs!

Ulysses Dutra disse...

Daí Xuxu,

Não concordo com esta posição. A gente quer mais é tocar onde nunca tocou e pra caras novas. Ninguém disse que ia ser fácil.

E como eu afirmei no texto, o Clube saiu fortalecido e de lambuja chamou a atenção da concorrência que hoje mandou uma boa proposta.

Um abraço