quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Meme Me

Pois e agora? Alexandre Gonçalves me convocou para um meme e aqui vou eu inspirado no post dele. Seis fatos aleatórios sobre mim.

1. Nasci em Três Rios, Rio de Janeiro no mesmo hospital onde Roberto Carlos foi socorrido após um grave acidente com o carro que ele dirigia em turnê pelo interior no início de carreira. Nele ficou uma cicatriz no pescoço, em mim não sei o que ficou. Com 2 meses meus pais voltaram para Santa Catarina e vivi em Itajaí até os 8 anos quando vim morar em Florianópolis.

Tempos atrás peguei um táxi aqui em Floripa e conversando com o motorista perguntei se ele era do Rio pelo sotaque. Ele disse que sim. Depois emendou: - Na realidade sou de uma cidade do interior que você nunca deve ter ouvido falar. Adivinha onde era?

Mostrei minha carteira de identidade e ele ficou pasmo.

2. Sempre li muito rápido. Leio em média 100 páginas por hora. Não consigo evitar. Comecei a ler com 5 anos aprendendo com minha vó que era professora. Iniciei devorando a biblioteca da casa dela. Hoje leio até bula.

3. Aprendi a tocar guitarra sozinho aos 15 anos. Recebi alguns toques, comprei livros e revistas e fui atrás. Plugava a guitarra num aparelho 3 em 1 e tocava junto com discos de Eric Clapton, Jimi Hendrix e vários bluesmen.

4. Uma vez estava numa madrugada com meu primo Marcos no bar Ilhéu no Centro de Floripa. A gente bebeu bastante assim como um cidadão que desceu a escada na minha frente quando íamos embora. Ele abriu a porta do carro, eu olhei e reconheci Antônio Cabrera, o palhaço Zás Trás.

Naquela emoção da embriaguez cumprimentei-o e disse que era seu fã. Ele abriu um sorriso e me deu um abraço me chamando de "amiguinho" que era como ele tratava os telespectadores do seu programa de TV. Trocamos algumas palavras.

Me despedi e fui caminhando embora quando de repente ele chamou...Hey amiguinho!... olhei pra trás e ele fez o mesmo cumprimento que fazia quando o programa chegava ao fim: agitava as duas mãos e dava tchaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaauuuuuuuuuuu!!!!!!!

5. Embora não tenha muita técnica eu dou meus passos sempre que o espírito está alegre, a música empolgante e a companhia boa. É como eu digo aos amigos: "Eu não sei dançar, mas eu danço".

6. Outra vez cheguei na Rodoviária de Sorocaba lotada numa tarde de domingo e não consegui um bilhete para São Paulo onde pegaria outro ônibus de volta pra Floripa. Sem mais um puto no bolso - ou no banco - eu já tinha comprado a passagem SP-Floripa e pra chegar lá tinha um bilhete para um horário em que chegaria após a partida.

Daí que fui à luta e consegui trocar com um cara que estava embarcando num Cometa naquela hora. Ele aceitou esperar um pouco mais e eu pude chegar em São Paulo a tempo.

Mas a Raposo Tavares tava cheia pra caramba e o trânsito lento. Desembarquei quase na hora no terminal da Barra Funda. Corri com uma mochila de 15 quilos nas costas e comprei um bilhete de metrô. Peguei o trem contando os minutos e acariciando a passagem dentro do bolso. Desembarquei na Sé e troquei de linha em direção ao Terminal do Tietê.

Chegando na Rodoviária disparei atrás do portão de embarque, corri uns 300 metros, desci uma escada e meu ônibus estava fechando a porta e partindo! Acenei para o motorista que parou e abriu a porta. Enfiei a mão no bolso e cadê a passagem?

Pedi pro motorista esperar e subi a escadaria de novo com aquela mochilona, desesperado. Chego no hall e vem um homem em minha direção. Ele só disse o seguinte: - Taqui o que tu buscava. Me entregou o bilhete, eu agradeci muito e dei meia volta e enfim embarquei no ônibus para Floripa.

Mas como nem tudo são rosas e eu já tinha encontrado dois anjos benfeitores no mesmo dia, quando cheguei no meu assento percebi que teria que passar as próximas 11 horas ao lado de um cara que ocupava quase os dois assentos com seu corpanzil flácido.

4 comentários:

Silvestre Gavinha disse...

Eu mandei esse meme para a Ana Paula do Certezas Biodegradáveis, e talvez ele tenha vindo de alguma forma de lá, parar aqui. Ou não.
Mas adorei tuas respostas. Geniais tuas histórias.
E claro, fiquei tocada, pois você até morou em Itajaí (cidade onde nasci). Mas você já tinha saído de lá? Ou não. Me dei conta que misturei os dados do teu nascimento e deslocamento com a data do nascimento da France Gall. Meu, o que uma mente com pressa pode fazer??
Errado né? Você deve ser contemporâneo da Ana Paula. Whatever!!
Eu não aprendi a ler com minha avó. Aprendi sozinha aos 4 anos. Não sei se leio tanto quanto você, mas se não o faço é por pura falta de tempo.
Mas certamente leio bula. Por necessidade.
E minha avó tinha uma biblioteca cheia de livros amarelos e carcomidos que era deliciosa. Também saí lendo de tudo o que encontrava.
Talvez por isso teu blog me tenha encantado tanto.
E esse post ali embaixo sobre o filme do Pelé?!?!?!
Adorei também.
Bem, bem. Chega. Você certamente não precisa de uma chata mais que falastrona jogando confeti a torto e a direito.
Mas achei você genial. Você é jornalista???
Abraços
Marie

Dauro Veras disse...

Também acho o Ulysses genial, Marie. Rapaz, essa viagem do item 6 foi impressionante!

Letícia G.R.D. disse...

Tão divertido passear aqui...rs
e essa última história é daquelas que chega a dar frio na barriga e vc até pensa em ir para o fim antes para acabar com a angústia..
heheh.. muito legal..
beijo!

leilalampe disse...

adoro este espaço virtual!
com certeza a melhor agenda musical da ilha e muita informação e histórias bacanas.
abraços