terça-feira, 10 de junho de 2008

Em algum ponto perto de...



− Estamos fodidos, Ralph − posso ouvi-lo dizer. − Inventaram a ferramenta perfeita para o Novo Idiota. Agora eles podem florescer, numa verdadeira terra de burrice e ganância. Podem infestar o planeta com tudo o que há de babaca e nojento que você puder imaginar, e todos eles vão parecer gente sensata. Agora, qualquer bundão banal, mentiroso, pode virar presidente dos Estados Unidos e ficar numa boa. Tudo quanto é desmiolado cabeça oca vai poder derramar os seus pensamentos podres nesse novo mecanismo, entortá-lo um grau fora do prumo e depois reenviar como uma forma de sabedoria. Você acha que a gente já chegou à Terra dos Mortos-Vivos? Não,Ralph. Estamos só começando!


O ilustrador inglês Ralph Steadman, comparsa de Hunther Thompson por 35 anos em uma puta matéria na revista Piauí em que ele fala sobre o grande Gonzo. Aqui ele conta sobre os anos 80 quando Hunther conheceu o computador pessoal e vislumbrou o que seria a Internet.

Não dá para negar que junto com tantas coisas maravilhosas há uma escumalha nesse mundo virtual. Nada diferente da vida real não é?

2 comentários:

Marcos Espíndola disse...

Mestre Hunter é uma referência que me é muito cara. O único que teve culhões para colocar abaixo a farsa do sonho americano. Nessa linha da entrevista com o Ralph eu recomendo a leitura de O Reino do Medo, uma espécie de autobiografia, publicada no Brasil pela Cia das Letras.

Ulysses Dutra disse...

Salve Marquinhos

O cara era foda né. Vou procurar sua recomendação.

Um abração