terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Futurismo presente


Destaco este interessante trecho da entrevista publicada no Link do Estadão com o alemão Gerd Leonhard, consultor em assuntos de conteúdo móvel, mercado de música digital e copyright para mais de quinze empresas como Google, BBC e Nokia. Na próxima quarta, ele vem ao Brasil para um evento fechado sobre o futuro da comunicação e da mídia social em São Paulo.


"O comportamento do consumidor de mobile é completamente diferente do que fazemos quando estamos presos a um fio no PC. A web agora é sempre on, está conosco no nosso bolso o tempo todo, e isso muda tudo. Nem tudo é só positivo, claro, e teremos que aprender a equilibrar os vários estímulos que virão com esse novo modo de conectividade. Mas basicamente, um consumidor conectado e nômade é algo realmente poderoso, de uma maneira completamente diferente de um consumidor localizado, desconectado. Tenho cinco previsões para a próxima década da mobilidade:


1. A propaganda móvel vai superar o modelo decididamente ultrapassado da Web 1.0, centrado no computador - e os anúncios vão se tornar conteúdo, quase completamente. Os anuncios vão, dentro de 2 a 5 anos, converter-se massivamente em móveis, baseados em geolocalização, opcionais, sociais e distribuídos pelo usuário. A propaganda se torna convergente - e o rendimento do Google será des vezes maior do que é hoje, em cinco anos, conduzido por mobile e vídeo.


2. Os tablets se tornarão a maneira como muitos de nós lerão revistas, livros, jornais e até "irão" a shows, conferências e eventos. O famigerado Apple iPad irá inaugurar isso, mas todas as grandes fabricantes farão uma cópia do iPad nos próximos 18 meses. Além disso, os tablets vão estrear a era da realidade aumentada em mobile. Isso será o grande boom das empresas de conteúdo, no mundo todo - mas só se elas puderem abandonar os esquemas de proteção do conteúdo, e cortar os preços em troca de uma base de usuários muito maior.


3. Muitos fabricantes de smartphones simples - provavelmente a primeira será a Nokia - vão tornar os aparelhos gratuitos, cobrando uma pequena taxa por todas as transações feitas pelos telefones (mais ou menos como os cartões de crédito fazem atualmente), por exemplo pequenas compras, conteúdo on-demand e acesso bancário. Os telefones móveis se tornam carteiras, bancos e caixas eletrônicos.


4. Boa parte dos celulares não vão funcionar em nenhuma rede em particular, ou seja, sem SIM cards. O Google, e talvez o Skype, a LG ou a Amazon vão oferecer telefones móveis que vão funcionar só com WiFi e WiMax, e vão oferecer ligações mais ou menos gratuitas. Isso deve finalmente acordar as operadoras e forçá-las a subir na cadeia alimentar - para produtoras de conteúdo e provedoras de "experiências.


5. O conteúdo será embutido nos contratos de serviço mobile, começando com música. Por exemplo, uma vez que seu telefone ou computador esteja online, muito do uso de conteúdo - baixado ou em streaming- será incluso. Pacotes e taxas únicas - muitas delas financiadas pela propaganda 2.0 - se torna o jeito principal de consumir e interagir com conteúdo. Primeiro (será com) música, então livros, notícias e revistas, e então filmes".

Um comentário:

SOS DIREITOS HUMANOS disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...



"As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado



O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato "JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA", paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.



O CRIME DE LESA HUMANIDADE


O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.



AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.


QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do "GEOPARK ARARIPE" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



A COMISSÃO DA VERDADE


A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.


Paz e Solidariedade,



Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br