quinta-feira, 8 de maio de 2008

Stoned immaculate



Assisti ontem o documentário de Martin Scorcese - Shine A Light - com os Rolling Stones. Muito bom. Scorcese captou perfeitamente a vibe do grupo. O ponto alto é a participação de Buddy Guy na canção pró-maconha, Champagne & Reefer, composta por Muddy Waters. Tem um momento em que a camêra fecha o plano no rosto de Buddy e ele encara fixo durante alguns segundos. Foda.

A idéia inicial de Jagger & Cia era de fazer um documentário sobre a banda captando imagens de um mega-show, no caso o último show que a banda fez em Copacabana, no Rio. Scorcese os convenceu a abdicar desse formato para registrarem dois shows no Beacon Theater em Nova Iorque, um lugar mais intimista e onde o diretor colocou as camêras nas mãos de alguns dos melhores profissionais da fotografia de Hollywood.

Fui sozinho ver o filme e na fila do cinema observei que as poucas pessoas que estavam lá iam assistir ao Homem de Ferro, em sua maioria. Pensei cá comigo: "Cadê os roqueiros dessa cidade? ". Pois não é que encontro o Sérgio Negrão, meu camarada jornalista e vocalista do Quarteto Banho de Lua.

Na entrada damos de cara com outro rocker veterano, Maurício Alves, baterista da Gubas & Os Possíveis Budas, acompanhado de um amigo. Fomos os quatro e mais 15 pessoas testemunhar o documentário.

Como eu disse para o Negrão: " Esses sim são os homens de ferro".

E viva os desconto no ingresso às quartas.

2 comentários:

jeanmafra disse...

olah, queridão, eu não sei se eu sou um rocker dessa cidade mas vi o filme (ali em cima do mangue) e nem o achei tão fodão assim. ok, é bacana e tal, mas o melhor são as falas e não o show em si... o keith richards é o cara mais pose do mundo, hein?!? porra!!!

Anônimo disse...

Fala Ulysses!!
Também assisti ao filme, mas a grande pedida é mesmo o livro sobre os caras, escrito pelo José Emilio Rondeau e Nélio Rodrigues, "Sexo, Drogas e Rolling Stones. Vale cada centavo!!!

Abraço

Alexandre Borges