terça-feira, 10 de abril de 2007

British Invasion

Numa tarde de julho de 2004 o Cristiano, manager da banda Pipodélica, me chamou no MSN e perguntou se eu tinha interesse em produzir um show em Florianópolis para uma banda inglesa que tocaria no Festival Rock de Inverno em Curitiba. Me passou o link do site da banda, chamada Transcargo. Fui conferir e adorei a música. Vi que não se tratava de mais um grupo indie xexelento. Era pop da mais alta qualidade. Um bando de ótimos músicos com grandes canções e melodias perfeitas. Topei imediatamente e no início de agosto realizei um show com a Transcargo e a Pipodélica no John Bull em Florianópolis. Os pouco mais de 100 felizardos que compareceram tiveram uma experiência e tanto.

A banda gostou tanto da acolhida em Floripa que passou 4 dias na cidade. Durante essa estadia fomos tomar umas cervejas numa segunda-feira no bar Drakkar. Se tratando de ingleses essas umas são muitas. Saímos de lá, bebaços é claro, com mais um show fechado em cima da hora para a terça-feira. Na noite seguinte quem havia ido ao John Bull repetiu a dose e repassou a mensagem. O Drakkar ficou lotado. Pra completar, quando eu estava me dirigindo ao bar, lá pelas 19 hs, me liga o Amexa, da banda os Ambervisions, dizendo que estava ciceroneando um grupo uruguaio, Os Supersônicos, e que eles gostariam de tocar também. Maluco que sou eu topei, no dia em que o Drakkar balançou e quase caiu.

Transcargo fez uma apresentação boa pacacete. Em pouco mais de uma hora de show deram o recado e finalizaram com chave de ouro a passagem por Florianópolis. Depois da catarse que proporcionaram, olhei praqueles uruguaios locos e pensei: o que é que esses caras vão fazer agora? Qual a relevância de subir ao palco após tamanha descarga energética? Pois os caras subiram e conseguiram se impor e cair no agrado do povo. Recorreram às gimmicks para se estabelecerem. Dancinhas robóticas engraçadas, guitarrista tocando sentado nos ombros do outro guitarrista e por aí vai. Fizeram com que uma noitada que estava ótima, ficasse excelente. Dois shows internacionais e uma festa e tanto.

Transcargo ainda tocou em São Paulo e União da Vitória mas Floripa foi marcante como deixaram bem claro pra mim e pro Fábio "Mutley" Bianchini, que fez uma bela matéria com a banda para o DC. Além de levá-los para um programa bem de turista - comer sequência de camarão no Oliveira - apresentei-os à mais desconhecida de nossas praias: a prainha da Barra da Lagoa, onde o produtor e video-maker Ciáran, um irlândes ruivo, gorducho, super gente-fina e extremamente resistente às intempéries e à cerveja, filmou cenas para futuros clipes. No site da banda na seção Images, as fotos de praia são todas nesse local. Esses dias encontrei no YouTube vídeos com as apresentações da Transcargo em Curitiba. Foram postados pelo Marcelo, curitibano que vive em Londres e que foi um dos articuladores dessa tour.

Bem, aí tu me pergunta: E daí? Hehehe. Depois dessa enrolação e marketing pessoal barato eu digo: E daí que vai ver/ouvir e diz se não é massa.



E aqui vão de lambuja 3 músicas do primeiro CD da banda para download. Clique e aguarde alguns segundos para carregar e então clique novamente em Download file.

Transcargo - Saturday

Transcargo - Collision

Transcargo - If Only

2 comentários:

Freak Brother disse...

Que baita sonzêra! Valeu

Cristiano Chaussard disse...

Transcargo é uma das melhores surpresas que tivemos enquanto éramos jovens. Depois deles, amadurecemos.
Hehe. Exageros a parte, minha visão do mundo independente mudou depois de conhecê-los. Não pra melhor, nem pra pior, mas pra mais realista.
Descobri que no meio de muita porcaria, existem coisas boas no independente. e descobri que coisas boas podem chegar longe, mas geralmente não chegam. E descobri que coisas ruins podem não chegar longe, mas chegam.

Quanta viagem, manager!

Foi ótimo ter passado o contato da Transcargo pro Ulysses.
O cara produziu como ninguém.

Porrha félho. Quepro tut.

Abraços do Manager!